já fizeram uma visitinha

Amazing Counters
- desde o dia 14 de Junho de 2007

sábado, 22 de dezembro de 2007

BOAS FESTAS – FELIZ ANO NOVO

até 2008 e que esse seja
um ano melhor que todos os que passaram
m

É hora de parar um pouco, nesta quadra que foi a Festa da Família e hoje é pouco mais que a festa do consumismo.

Mas precisamente porque é Natal e a tradição o manda, lá terei de ir reunir-me com o filho, numa terra brava, dura e fria, onde só se está bem junto da lareira forte, a ruminar palavras interiores, enquanto lá fora o vento uiva e por vezes, os flocos de neve enfeitam os castanheiros.
m
O José Carlos, esse, já foi em busca de terras mais quentes, a fugir ao frio e à tradição, em busca de exotismo, calor e juventude.
Fica a Ana Maria mas não lhe irei deixar a responsabilidade de, sozinha, manter actualizados os leitores do ‘Calçadão’.

Por isso, paramos, por uns dias este nosso agradável exercício do contacto diário com os nossos leitores.

Deixamo-vos, pois, com alguma pena, mas quereria que o fosse também com os votos sinceros de que tudo fosse bom…

Mas nem sempre nos saem as palavras certas porque as outras, as eternamente repetidas por toda a gente, têm o sabor artificial da comida requentada.

Queria usar palavras novas, palavras capazes de vos dizer tudo o que me vai na alma, mas essa é a mensagem que deveria ser a de todos os dias: aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.

É essa mensagem que vos quero oferecer.

Mas porque o tempo de Natal é também um tempo de reflexão, vou deixar-vos com um poema dorido de Álvaro Feijó, um poeta filósofo nascido naquelas terras frias onde irei passar o meu Natal.

Nasceu.
Foi numa cama de folhelho
entre lençóis de estopa suja,
num pardieiro velho.
Trinta horas depois, a mãe pegou na enxada
e foi roçar nas bordas dos caminhos
manadas de ervas
para a ovelha triste.
E a criança ficou no pardieiro
só com o fumo negro das paredes
e o crepitar do fogo,
enroscada num cesto de vindimeiro,
que não havia berço naquela casa.
E ninguém conta a história do menino
que não teve
nem magos a adorá-lo,
nem vacas a aquecê-lo,
mas que há-de ter
muitos Reis da Judeia a persegui-lo,
que não terá coroas de espinhos
mas coroa de baionetas,
postas até ao fundo
do seu corpo.
Ninguém há-de contar a história do menino.
Ninguém lhe vai chamar o Salvador do Mundo.

ÁLVARO FEIJÓ (1916 / 1941)
m

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

UM PAI TIRANO PARA QUARTEIRA

cinema na praça do mar em fevereiro

Nos meses de Janeiro e Fevereiro, a Câmara de Loulé vai providenciar a projecção de alguns clássicos do cinema português “a todas as freguesias que não dispõem de uma sala de exibição permanente de filmes” – segundo nota informativa da própria autarquia.

Filmes como “Canção de Lisboa”, “O Pátio das Cantigas”, “O Pai Tirano” e “O Leão da Estrela” vão ser projectados em salas de associações de Ameixial, Almancil, Alte, Benafim, Vale de Silves e Tôr, Cortelha e Querença.
Quarteira vai ver “O pai Tirano”… na Praça do Mar, às 18:00 horas do dia 3 de Fevereiro!

Ver cinema ao ar livre em 3 de Fevereiro… só mesmo obrigados por “um pai tirano” que muito maltrate a filharada…
.

A CÂMARA E A SOLIDARIEDADE SOCIAL

tomem lá… e ficam governados!

A Câmara Municipal de Loulé divulgou, na imprensa regional, a informação de que, neste Natal, atribuiu um subsídio a 26 instituições de solidariedade social do concelho, num valor global de 6.500 euros, o que corresponde a 250 euros por instituição.
------------------------------------------------------- Montagem fotogr. de Galiós
Entre as instituições abrangidas, contam-se as seguintes, de Quarteira: o Centro de Apoio à Criança, o Centro Paroquial de Quarteira, a Associação Humanitária de Doentes de Parkinson e Alzheimer e a Fundação António Aleixo.

Até aqui, tudo bem. Cinquenta contos a cada instituição, nos dias de hoje, não dá para grande coisa, mas cada um dá o que pode. Ou o que quer.

O ridículo da situação surge, porém, quando nesse comunicado, a autarquia afirma que “esta acção da autarquia tem em vista dar um contributo para minimizar as dificuldades económicas que estas instituições enfrentam no seu dia-a-dia, sobretudo nesta quadra natalícia, que é por excelência um período de solidariedade social acrescida e de entreajuda aos mais carenciados e aos estratos populacionais mais vulneráveis e com maior grau de dependência."

Com franqueza! Se dissessem que esses cinquenta contos se destinavam à compra de uns pacotes de caramelos e uns pares de peúgas para distribuir pelos putos, a gente ainda poderia aceitar.
Mas minimizar as dificuldades económicas que estas instituições enfrentam no seu dia-a-dia?!… Só por uma espécie de lamentável humor negro

.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

O PASTEL DE BACALHAU E A ASAE

esclarecimento do governo civil

Depois do nosso post do passado dia 15 de Dezembro intitulado “Acudam ao pastel de bacalhau”, recebemos, através do Governo Civil de Faro, um longo esclarecimento sobre as restrições impostas pela ASAE, na área dos estabe-lecimentos de restauração.

Porque se trata de um documento longo, apesar do seu inegável interesse, sobretudo para desfazer alguns boatos postos a circular, o ‘Calçadão’ irá, ao longo de vários dias, publicando excertos desse esclarecimento.

Para já, aqui vai o que interessa, em nome da defesa do pastel de bacalhau:

Venda particular de bolos, rissóis e outros alimentos confeccionados em casa
m
"O fabrico de produtos alimentares para venda é uma actividade que se enquadra como actividade industrial, estando sujeita às imposições do regime legal para o seu exercício, pelo que a venda destes produtos em local não licenciado para o efeito não é permitida. Para os estabelecimentos onde se efectuam operações de manipulação, preparação e transformação de produtos de origem animal, onde se incluem os rissóis e empadas, é necessária a atribuição de número de controlo veterinário, a atribuir pela Direcção-Geral de Veterinária."

E se forem croquetes ou pastéis sem carne, sem bacalhau ou sem outros produtos de origem animal?
.

MARINOTEL VAI SER REMODELADO

trabalhos de requalificação durarão 9 meses

O Tivoli Marinotel, de Vilamoura, um dos mais prestigiados hotéis de cinco estrelas a nível nacional, vai ser remodelado no próximo ano.

A futura decoração de interiores do hotel foi entregue a empresas do Grupo Catarino, especializadas na concepção integral de ambientes, design de equipamentos e requalificação de espaços.

O progresso é sempre o resultado da insatisfação. Mas quem estava insatisfeito?
.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

MAIS UMA ROTUNDA PARA QUARTEIRA

no cruzamento de quê?!...

A Câmara de Loulé anunciou, em nota de imprensa, que vai construir uma rotunda no cruzamento da Avenida Mota Pinto com a Rua 25 de Abril.

Será uma rotunda com um diâmetro de 16 metros, que implicará a execução de rampas em calçada grada e instalação de infra-estruturas eléctricas, drenagem de águas pluviais e adaptação das zonas verdes existentes.

Os trabalhos orçarão os 117 mil euros e deverão estar concluídos em 75 dias.

Quando não se sabe o que fazer de melhor… fazem-se rotundas!

Mas que cruzamento será este que a Câmara está a inventar? Será que quereria dizer “entroncamento com a Rua do Pôr do Sol”? É que a Rua 25 de Abril termina no Largo da Igreja e não cruza nenhuma avenida…
.

PÓLO TECNOLÓGICO DO ALGARVE

parceria da câmara de loulé com a universidade
m

Com o objectivo de participar, como associado fundador, no projecto de criação do Pólo Tecnológico do Algarve, a Câmara de Loulé vai aderir às associações privadas sem fins lucrativos: Algarve STP – Parque de Ciência e Tecnologia do Algarve e Algarve TIC – Centro de Incubação da Base Tecnológica do Algarve.

O pólo, que ficará instalado no Parque das Cidades, irá acolher unidades de investigação e desenvolvimento e empresas especializadas nos domínios da biotecnologia, biomedicina e gestão dos recursos vivos marinhos e dos sistemas inteligentes., pretende vir a ser um dos eixos estratégicos que a Universidade do Algarve inscreve na sua acção como forma impulsionadora de criação de novas empresas e de incentivo a projectos de desenvolvimento tecnológico.

Investigação e tecnologia no concelho; gestão dos recursos vivos marinhos… longe do mar de Quarteira.
.

A REGIONALIZAÇÃO AVANÇA…

… de forma encapotada, para não “doer”?

Um diploma, aprovado na 4ª feira da semana passada em Conselho de Ministros, determina cinco Áreas Regionais de Turismo: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve, em vez das anteriores 19 regiões de turismo.
Compreende-se que estas Áreas Regionais de Turismo, que o ministro da Economia, Manuel Pinho, apresentou como "um esforço de racionalização", sejam coincidentes com as futuras regiões administrativas.

Para além destas novas “regiões de turismo”, são consideradas outras cinco zonas do país com potencial turístico (Alqueva, Litoral Alentejano, Região Oeste, Douro e Serra da Estrela), que terão autonomia.

Pé ante pé, a regionalização de José Sócrates vai-se impondo, sorrateiramente.
.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE QUARTEIRA

reúne em 19 de Dezembro

A Assembleia de Freguesia de Quarteira vai reunir na próxima 4ª feira, 19 de Dezembro, a fim de apreciar e votar, os seguintes pontos:

  • - Orçamento da Junta de Freguesia para 2008;
  • - Plano Plurianual de Investimentos para o mesmo ano;
  • - Plano de Actividades e
  • - Inventário e Cadastro da Junta de Freguesia.

A reunião tem o início marcado para as 21:00 horas e, como tem sido habitual, haverá dois períodos destinados a intervenção pública.
...

PROTOCOLOS CULTURAIS

“importantes complementaridades do turismo”
A Câmara Municipal de Loulé e a Universidade de Lisboa celebraram na semana passada, um protocolo de cooperação, com vista à “promoção, divulgação e apoio em geral nos domínios da arte, da ciência e da cultura do concelho de Loulé”, e que prevê a participação e colaboração da autarquia em actividades desenvolvidas por aquela instituição universitária.

Na oportunidade, o presidente da Câmara afirmou que “a obrigação de uma câmara não se deve limitar a questões como o urbanismo e aprovação de obras, mas também à cultura e tudo aquilo que seja importante como complementaridade do turismo”.

Não se conhecendo as bases e objectivos específicos, mas apenas intenções "em geral", é difícil alvitrar sobre a utilidade de qualquer protocolo.
Outros, anteriormente assinados, não têm reflectido consequências muito visíveis… Pelo menos, em Quarteira!
.

domingo, 16 de dezembro de 2007

A FESTA DA MADEIRA

que ninguém se renda aos cubanos!



Você era capaz de dizer o mesmo sem rir à gargalhada?
.

QUANTO GASTA O CHEFE DE ESTADO ?

mais que a rainha de inglaterra
quase o dobro do rei de espanha

A revista «Point de Vue» na sua edição nº 3.095, de 13 a 20 Nov 2007, publicou os orçamentos de algumas casas civis de chefes de Estado.

Aqui ficam alguns porque merecem reflexão:

Henri, Grão-duque de Luxemburgo, ...................... 650.000 Euros
Carlos XVI Gustavo, rei da Suécia, ..................... 5.200.000 Euros
Beatriz I, rainha da Holanda, ........................... 5.600.000 Euros
João Carlos, rei de Espanha, ............................ 8.050.000 Euros
Margarida II, rainha da Dinamarca, .................... 8.600.000 Euros
Alberto II, rei da Bélgica, ................................ 9.542.000 Euros
Harald V, rei da Noruega, .............................. 15.000.000 Euros
Isabel II, rainha de Inglaterra, ........................ 15.500.000 Euros
Cavaco Silva, presidente de Portugal, ............. 16.000.000 Euros
Sarkozy, presidente de França, ...................... 100.000.000 Euros
George Bush, presidente dos Estados Unidos, .... 100.110.000 Euros

É claro que a dotação para Belém passa sempre pela aprovação parlamentar, mas parece estranho que, gastando o palácio de Belém mais do que o de Buckingham e quase o dobro do da Zarzuela, nunca se fale nisso… particularmente na comunicação social, sempre ávida de um assuntozinho de cá-cá-rá-cá para “vender papel”.

Mas, afinal, não dizem que as finanças de Portugal estão em crise? Mentirosos!...
..

sábado, 15 de dezembro de 2007

MASSAGENS TURÍSTICAS

serviço de massagens na rta

"A Região de Turismo do Algarve criou um serviço de massagens dirigido especialmente aos funcionários que, por quatro euros, podem revigorar energias e, desta forma, trabalhar melhor.
Montagem fotog de J.C.
"Não é propriamente a filosofia da alegria no trabalho, mas é do bem estar", explicou à Lusa o presidente da RTA, António Pina, salientando que "as pessoas descontraem 10 minutos na cadeira do massagista e voltam a trabalhar mais e melhor".
in «Observatório do Algarve», 15/Dez/2007

Parece que, para começar, é só massagem “de cadeira”…
Por quatro euros, que queriam mais?...
.

UM PAI NATAL INESPERADO

bota esqueceu-se de mostrar a sua prenda

O jantar natalício do Partido Social Democrata decorreu com a normalidade que dele se esperaria. Lá estivémos, em Portimão, e foi bom reencontrar amigos, trocar votos de boas-festas e mastigar, em grupinhos, comentários menos simpáticos contra outros grupinhos, pois é bom lembrar que esta divisão bicéfala Menezes-Santana é um rastilho em que, cada um de nós, busca oportunidade de puxar fogo…

Mendes Bota, como sempre, estava eufórico, sem perder oportunidade de fazer o seu jogo pessoal; e muita gente que ainda há dois meses se não coibia dos mais trocistas comentários, fazia esforços por “parecer bem na fotografia”.
montagem fotográfica de: JC
O deputado estava “nas suas sete quintas”, impante pela sua nova posição de ser – ao que se diz – a correia de transmissão com que Menezes conta para… moderar Santana.

Os seus já “tradicionais apoiantes”, com Justino a chegar-se cada vez mais à frente e Elidérico a desfazer-se em esforços para que se esqueça o imputado apoio a ambos os candidatos nas recentes eleições internas, todos a propalarem a sua “fidelidade milenar”.

Os poucos participantes de Loulé e Quarteira estiveram discretos, tanto quanto possível, é claro.

Enfim, a task-force social-democrata algarvia juntava-se numa equipa de autarcas risonhos, todos eles a não ocultarem uma indisfarçável inveja pelos êxitos do homem forte de Albufeira -com Polis.

O jantar, como se compreende, foi o menos. Para a sobremesa, Bota resolveu restaurar a sua veia de one-man-show e armou-se em Pai Natal, trazendo prendas aos ministros do governo de José Sócrates.

É claro que todos rimos muito porque Bota lembrou que, nos dois anos que Sócrates já leva no governo, ainda “não vemos o hospital central, nem a saúde em bom estado, nem estradas arranjadas, nem os esgotos tratados, nem os portos melhorados – em suma, não vemos investimento!”

Enfim, entre uma série de assuntos de ânimo patético que deveria ter calado, pois ao trazê-los à colação só chamou a atenção para o facto de os anteriores governos PSD também não os terem resolvido, lá foi fazendo o que lhe era exigível. O que não quer dizer que, aqui e além, não tenha sido hilariante como quando, do seu saco de prendas, sacou de “uma estadia de seis dias nas urgências do Hospital de Faro” para o ministro da Saúde, Correia de Campos.

Só vimos morrer-lhe no rosto o sorriso quando um militante de Lagos gritou lá do fundo “vê lá se não terás por aí um capachinho”.
Há gente que não perde uma para mostrar que… não tem sentido de humor…

.

ACUDAM AO PASTEL DE BACALHAU !

tempos modernos ou intolerância brutal?

"A meia dúzia de lavradores que comercializam directamente os seus produtos e que sobrevivem aos centros comerciais ou às grandes superfícies vai agora ser eliminada sumariamente. Os proprietários de restaurantes caseiros que sobram, e vivem no mesmo prédio em que trabalham, preparam-se, depois da chegada da “fast food”, para fechar as portas e mudar de vida.
Todos os que cozinhavam em casa e forneciam diariamente, aos cafés e restaurantes do bairro, sopas, doces, rissóis e croquetes, podem sonhar com outro negócio. Os artesãos que comercializam produtos confeccionados à sua maneira vão ser liquidados. Não há morcela que resista!
A solução final vem aí. Com as leis, as políticas, as policias, os inspectores, os fiscais, a imprensa, a televisão. Ninguém deste velho mundo sobrará.
Quem não usa os computadores e os programas que as multinacionais impõem ao mundo, quem não aceita as receitas harmonizadas, quem recusa fornecer-se de produtos e matérias-primas industriais e quem não quer ser igual a toda a gente está condenado.
Estes exércitos de liquidação são poderosíssimos: têm o Estado-maior em Bruxelas e regulam-se pelas directivas europeias elaboradas pelos mais qualificados cientistas do mundo; organizam-se no governo nacional; e agem através do pessoal da ASAE, a organização mais falada e odiada do país, mas certamente a mais amada pelas multinacionais, pelo cartel da ração e pelos impérios do açucar.Cafés onde estudantes e reformados bebiam uns copos e jogavam às cartas ou ao dominó? Acabou! É proibido jogar!
[…] As bolas de Berlim e os pastéis de nata quentinhos, vendidos nas praias e romarias passam a ser embalados e mantidos refrigerados.Vender os produtos da sua horta nas feiras e mercados, ovos, alfaces, enchidos, azeitonas, laranjas. É proibido! Acabou-se o brinde e a fava no bolo-rei. Acabou-se a colher de pau! Acabou-se o medronho!Será que o barro com que os oleiros fazem os pratos e potes tradicionais terá de ter certificação? Será que este artesanato corre o risco de passar a “produto apreendido”?
Tudo isto, como é evidente, para nosso bem. Para proteger a nossa saúde. Para modernizar a economia. Para apostar no futuro. Para estarmos na linha da frente.
Tempos modernos ou intolerância brutal? Integração ou perda de identidade? […] "
in blogue «Atelier Pedroso», em 13/Dez/2007

Descontando alguns exageros perdoados, pelo espírito satírico- -- -irónico do texto, ficam aqui alguns motivos para reflexão: realmente, estaremos perante práticas de integração-homogeneização ou de perda de identidade?

Tenhamos fé: usando ainda a terminologia do autor, atrever-nos- -íamos a prognosticar que muitos, deste velho mundo, irão continuar a tomar a sua bica em chávena de porcelana e a imperial em copo de vidro…
..

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

NOVA CRECHE PARA QUARTEIRA

as coisas começam a compor-se


No seguimento das respectivas candidaturas de instituições particulares de solidariedade social ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES) a Câmara de Loulé celebrou ontem acordos de colaboração para a criação de três novas creches: em Loulé, Tôr e Quarteira.

A construção destes novos equipamentos sociais vai ser financiada, principalmente, pela Segurança Social, através do PARES.

No caso de Quarteira, a creche, que nascerá da candidatura apresentada pelo Centro Paroquial de Quarteira, ficará localizada junto da igreja das Pereiras.

Terá um custo total de cerca de € 260 mil, sendo 70% desta quantia o valor da comparticipado do PARES e os restantes 30% da responsabilidade da CML. O prazo de execução da obra é de 18 meses.

Ora aqui está uma boa notícia. Já era tempo de as entidades responsáveis começarem a preocupar-se com a actual insuficiência destes equipamentos sociais.
m

CONTO DE NATAL

há um lobo mau à solta, por aí...

Roubadíssimo ao QUIOSQUE DA CAMILA
Para os que se preocupam muito com a definição da interpretação das coisas, este vídeo da Camila será um elevado exercício de psicossociologia, o capítulo da Sociologia que estudando os fenómenos psicológicos e particularmente as relações interpessoais, referindo-as à vida social – trocas, simpatias, conflitos, autoridade – acaba por encontrar os estereótipos dos modelos de conduta dos indivíduos, tanto na vida pessoal como – e sobretudo – na social.
Para os que apenas se preocupam com a apreciação linear das mesmas coisas, este vídeo será apenas um trabalho de transferência entre um património cultural – a fábula ou o conto infantil dos três porquinhos – e a realidade de um quotidiano que nos é próximo, onde Dr. Jekyll e Mr. Hyde se confundem, na feira de vaidades que é o nosso poder autárquico.

Bom trabalho! Parabéns, portanto, Camila.


Só não percebemos é por que carga de água, o Lobo Mau quereria devorar o Calçadão, a Camila e o Sebastião…
.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

VAMOS TER UM GUARDA-NOCTURNO

para vigiar a zona poente de Quarteira

O presidente da Câmara de Loulé procedeu ontem à entrega de três licenças a guardas-nocturnos que vão actuar nas cidades de Loulé e Quarteira.
Os guardas
-nocturnos vão exercer funções na zona industrial e na zona norte de Loulé e na zona poente de Quarteira.
Em comunicado, a autarquia louletana informa que os agentes foram recrutados através de um “processo que passou por uma reunião entre responsáveis municipais, juntas de freguesia e GNR, para determinação das zonas mais problemáticas, e de um concurso público e entrevista aos concorrentes”.

O presidente da câmara pretende, segundo se afirma nesse documento, “ir de encontro à imagem de qualidade que se pretende para o município” e, para isso, “é fundamental passar uma imagem de segurança”, pelo que pretende alargar o número de guardas nocturnos.

Finalmente, no mesmo comunicado, informa-se que Seruca Emídio entende que “a criação no município da figura do guarda-nocturno se reveste de especial importância como alternativa a outros meios que transmitam uma noção de segurança à população”.

Alternativa a outros meios?! Pensávamos nós que os guardas-nocturnos viriam a ser um complemento a outros meios (leia-se: GNR) que devem transmitir sensação de segurança! …
.

PORREIRO, PÁ !?

é assinado hoje o tratado de lisboa
Oficialmente, hoje é um dia de festa para a Europa e para Portugal, em particular, porque é hoje assinado, no mais emblemático edifício português, o Tratado Reformador de Lisboa, que visa tornar a União Europeia mais democrática e garantir níveis elevados de responsabilidade, abertura, transparência e participação em resposta às expectativas dos cidadãos.

Oficialmente! Porque, no mundo moderno, ainda são as elites denominadas «entidades oficiais» que se permitem dizer aos seus cidadãos o que é bom para eles, o que deve ser «festa» para eles. nnnnnnnnnnnnnnn
As mesmas «entidades oficiais» que, ao que parece, nem sequer estão dispostos a perguntar aos que as puseram no poleiro, se estão, ou não, de acordo com o motivo da festa, pois, em toda a Europa, se está a orquestrar a marosca para evitar que lhes respondam, em referendo, que não se vê motivo para festejar.

Atravessamos um período em que, em toda a Europa se verifica um irreversível processo de erosão social, com um crescendo das desigualdades e de um aparente laxismo por parte dos responsáveis pela condução dos destinos dos respectivos povos.

Em Portugal, que já era o país da Europa dos 15 em que se registavam as maiores desigualdades - e que, neste aspecto, ameaça deixar-se ultrapassar por muitos dos novos países na Europa dos 27 -, o dia de hoje, ao contrário da vontade do Governo de Sócrates, não será, com certeza uma efeméride a recordar no futuro.

É que este país desigualitário, deprimido, falho de oportunidades, ineficaz e doente, não pode ser o mesmo país que um governo determinado e ambicioso pode desejar para os seus cidadãos.

No entanto, esse é o retrato social actual do país. E não será um simples tratado que hoje se assina, nos Jerónimos, que nos irá conduzir na senda da felicidade do progresso social e económico.
.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

PRATA DA CASA

twist & people band

Uma recomendação de SUZI
Juventude, irreverência e intenção.
Uma maneira de estar, com voz de Quarteira.
.

ALERTA AMARELO NO ALGARVE

o mar está feito num cão

O Instituto de Meteorologia colocou ----- hoje o litoral algarvio em «alerta amarelo», devido à agitação marítima, com ondas que poderão ir até aos dois metros, num alerta dirigido particularmente aos homens do mar.

No entanto, o Instituto de Meteorologia aponta para céu limpo ou pouco nublado, mas com um acentuado arrefecimento nocturno, e a Autoridade Nacional de Protecção Civil aconselha as pessoas a vestirem várias camadas de roupa, evitarem o consumo excessivo de electricidade, para não sobrecarregar a rede, e a terem cuidado com lareiras, braseiras e aquecedores de gás, devido ao risco de acidentes domésticos.

Mas com um sol tão bonito, deve parecer um paraíso para os surfistas…
.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

INFORMAÇÃO RESIDENCIAL

para saber sobre mercado habitacional

Vai ser apresentado amanhã, no Hotel Vila Sol, na presença do presidente da RTA, o «Sistema de Informação Residencial», um sistema que visa reunir informação sobre o mercado habitacional e que, desde 2004, até agora, tem funcionado apenas nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

O sistema vai ser alargado ao Algarve que passará a contar com estatísticas detalhadas.

Os resultados da fase piloto, que foi desenvolvida pela empresa Imométrica, e serão amanhã apresentados, são respeitantes ao ano de 2007.

Uma vez mais, Quarteira volta a ser palco para apresentação de um plano de interesse regional.
.

ASSALTO COM AGRESSÃO EM QUARTEIRA

as forças policiais vigiam o quê?

Por volta das três horas, na madrugada de segunda-feira, um guineense de 51 anos, que cumpria funções de vigilante nas obras da futura Junta de Freguesia e Centro Autárquico de Quarteira, foi agredido por assaltantes e trancado na casa de banho, enquanto os assaltantes procediam ao roubo de diverso material de construção, no valor aproximado de 2.500 euros.

A GNR foi, posteriormente, chamada ao local, onde tomou conta da ocorrência e o caso está agora entregue à Polícia Judiciária.

Uma notícia que começa a ser banal, infelizmente, em Quarteira. Desta vez, numa zona das mais nobres e concorridas da cidade, onde tais desacatos deveriam ser improváveis.

Ainda há dias, o ‘Calçadão’ alertava as autoridades para o incremento da marginalidade nesta zona da cidade. Sem resultados evidentes.

A pergunta que aqui vos deixamos (e à consideração das autoridades civis e policiais) é esta:
Há quanto tempo não é visto qualquer sinal de policiamento nas ruas Vasco da Gama, Gago Coutinho, Francisca de Aragão, Largo Poeta Pardal, ou ainda nas ruas Luís de Camões e todas as que se situam desde a Igreja Velha até à Vasco da Gama?
.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

OCUPAÇÃO HOTELEIRA

vilamoura/quarteira/quinta do lago em alta

Segundo a indicação da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), a ocupação hoteleira no Algarve registou um ligeiro aumento no mês de Novembro, relativamente ao mesmo mês de 2006.

A taxa de ocupação mais elevada verificou-se na zona de Vilamoura /Quarteira/Quinta do Lago, com 44,6%, seguida de Albufeira registou uma ocupação quarto de 43,7%. A zona Portimão/Praia da Rocha registou a taxa de ocupação mais baixa, com 28,0%.

O que significa que, no nosso concelho, felizmente, alguém continua a encher os cofres…
.

domingo, 9 de dezembro de 2007

MOMENTOS DE EXALTAÇÃO

sempre vieste!

És tu! És tu! Sempre vieste, enfim!
Oiço, de novo, o riso dos teus passos!
És tu que eu vejo a estender-me os braços
que Deus criou p’ra me abraçar, a mim!

Tudo é divino e santo, visto assim…
Fora-se os desalentos, os cansaços…
O mundo não é mundo: é um jardim!
Um céu aberto: longes, os espaços!

Prende-me toda, Amor, prende-me bem!
Que vês tu em redor? – Não há ninguém!
A Terra? – um astro morto, que flutua…

Tudo o que é chama a arder, tudo o que sente,
tudo o que é vida e vibra eternamente
é tu seres meu, Amor, e eu ser tua!

Flobela Espanca (1894 / 1930) in Sonetos - foto:autor desconhecido

FLORBELA ESPANCA nasceu em Vila Viçosa em 8 de Dezembro; morreu em Matosinhos, em 8 de Dezembro. Casou pela primeira vez em 8 de Dezembro.
Hoje, 8 de Dezembro, dia da Padroeira de Quarteira, é pois, também, o que poderíamos chamar de dia de Florbela, a mulher cuja vida tumultuosa e inquieta transformou em poemas de uma sensibilidade chocante e comovente, da mais alta qualidade, carregada de erotismo e feminilidade.
Baptizada com o nome de Flor Bela de Alma da Conceição, seu pai só reconheceria a paternidade anos depois da morte da poetisa. Foi a primeira mulher que, em Portugal, frequentou o curso de Direito, na Universidade de Lisboa, quando já era titular de uma licenciatura em Letras.
Edita os seus primeiros livros, «Livro de mágoas», em 1919, e em 1923, o «Livro de Soror Saudade», onde incluirá grande parte da produção anterior.
No dia em que perfaz trinta e seis anos, Florbela, sozinha, sentindo-se doente e desamparada, suicida-se. “Com Florbela morre, não talvez a maior poetisa do seu tempo, mas uma das que, mais agudamente e sem temor, exprimiu as grandes contradições da sensibilidade feminina nas suas paixões. Ao mesmo tempo, com uma certa ingenuidade, impregnada das verdades simples ou complexas do que é a mulher, na convergência da cultura e do ser.”
.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

AS VERBAS PARA AS FREGUESIAS

quarteira vale menos que s.sebastião
e quase o mesmo que alte?

Como foi já tornado público, foi aprovado recentemente o Orçamento da Câmara Municipal de Loulé, para o ano de 2.008.
Quem se debruçar sobre o tal orçamento, encontrará, com certeza, muitos motivos de surpresa.

Mesmo sem termos grandes conhecimentos de contabilidade e administração, ficamos intrigados, sem perceber, por exemplo, por que razão o tal orçamento prevê a transferência para a freguesia de S. Sebastião (5.526 eleitores no recente escrutínio para a Presidência da República) de € 593.760,58 (€ 84.455,25 de transferências correntes e € 509.305,33 de transferências de capital) e, para Quarteira (13.706 eleitores para as mesmas eleições) de somente € 405.997,32 (€ 196.469,02 – t. correntes e € 209.528,30 – t. capital).

Surpreende-nos ainda que a nossa freguesia (voltamos a dizer: 13.706 eleitores) venha a receber pouco mais que a freguesia de Alte (apenas 1.877 eleitores), que será contemplada com € 376.348,59 (€ 153.328,50 – t . correntes e € 223.020,09 de t. de capital – mais que para Quarteira!).

Fica claro que não nascemos vocacionados para contabilidade e administração autárquica.
Nem todos podemos ser médicos ou agrónomos…
.

QUARTEIRA EM FESTA

no dia da padroeira

No dia 8 de Dezembro, Quarteira vai homenagear a sua Padroeira, Nossa Senhora da Conceição.

Na véspera, hoje, portanto, a imagem da Padroeira sairá, em procissão de velas, da sua casa de todo o ano, a Igrejinha Velha, para a nova Igreja de S. Pedro do Mar.

Segundo indicação do portal da Junta de Freguesia de Quarteira, este será o programa das festas:

Assim o tempo permita e o frio não assuste as pessoas...
.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

AJUDAR O DESPORTO PARA DIMINUÍDOS? NÃO!

governo civil recusa ajuda para cadeira de rodas

O 'Clube de Basquet de Quarteira Tubarões' é a única agremiação desportiva do Algarve que mantém em actividade uma equipa de basquete em cadeira de rodas.
O seu presidente, Artur Figueiras, lamenta particularmente as dificuldades que esta formação tem tido para conseguir apoios.

«[...] Recentemente, pediu apoio ao Governo Civil de Faro para a aquisição de uma cadeira de rodas adaptada, “uma vez que havia algumas promessas desde o Verão, altura em que os Tubarões participaram numa demonstração da modalidade, em Faro”.

“O Governo Civil prometeu apoiar o desporto adaptado; por isso, foi com alguma surpresa que recebi a indicação de que não iria haver apoio, por falta de verbas.

Logicamente que ficámos magoados com esta situação”, explica Artur Figueiras, revelando que esta informação foi dada pelo adjunto da Governadora Civil, depois de muitas solicitações para a marcação de uma reunião, visto o Governo Civil não responder ao pedido efectuado pelo clube.

“Há alguns meses, houve uma palestra sobre programas que o Governo Civil estava a levar a cabo para apoiar o desporto adaptado, mas o nosso clube nem foi convidado. No entanto, apontaram os Tubarões como um exemplo a seguir nesta vertente”, lembra ainda, concluindo o raciocínio: “Sentimo-nos um pouco marginalizados. Temos feito um esforço tremendo por esta equipa, até porque, estamos num campeonato nacional e temos deslocações a Lisboa, Leiria e até à Madeira. Infelizmente, o desporto adaptado algarvio não tem tido o apoio do Governo Civil” [...]»

in jornal ‘ Carteia’, por Bruno Hilário, 6/Dez/2007 (adaptado)

Estamos, sem dúvida, perante claros sinais da 'coerência' do Governo Civil de Faro e da consideração que merecem aqueles que se esforçam pelo bem-estar dos que mais precisam.
..

ACÇÃO EM TRIBUNAL CONTRA PC DE MONCHIQUE

em causa está a atribuição de subsídios ao futebol
Os dois vereadores sociais-democratas de Monchique interpuseram uma acção no Tribunal Administrativo de Loulé, que pode levar à perda de mandato do presidente da Câmara, Carlos Tuta.

Os vereadores PSD apontaram dez situações que dizem virem a arrastar-se desde o anterior mandato, sendo uma das mais graves a que diz respeito à atribuição de subsídios irregulares ao clube local, o Juventude Desportiva Monchiquense.

Ai se a moda pega!
Imaginem que alguém se lembra de interpor uma acção sobre a atribuição de subsídios aos “futebóis” do concelho louletano!...
.

REGIONALIZAÇÃO E REFERENDO

sabe o que é inconstitucionalidade por omissão?

O referendo de 1998 sobre a Regionalização resultou num fracasso a dois níveis: nacional e regional (Algarve). No primeiro e no segun-do caso não houve vinculação referendária. A surpresa surgiu no Algarve, pois tudo fazia crer que haveria uma votação superior, pela circunstância de, entre todas as regiões, esta ser considerada uma região natural, sob o ponto de vista geográfico, histórico e cultu-ral. É, aliás, consensual que uma das razões deste fracasso se deveu à divisão territorial então proposta.

Uma década depois do supracitado referendo, esta primordial questão retorna à ordem do dia.

Após 32 anos da promulgação da Constituição da República Portuguesa (C.R.P.), aprovada em 25.Abril.1976, todos os governos constitucionais têm protelado o seu cumprimento.

Questões de ordem corporativa, interesses vários, onde se cruzam indiferença e falta de vontade política, têm vindo a relegar indefinidamente o cumprimento deste preceito constitucional, mantendo o país amarrado um sistema de governação burocrático e centralizador, e de costas voltadas para a participação.

Ainda sobre o incumprimento da C.R.P., veja-se o que é preconizado no seu Artº 283º (Inconstitucionalidade por omissão), no seu nº 2: “Quando o Tribunal Constitucional verificar a existência de inconstitucionalidade por omissão, dará disso conhecimento ao órgão legislativo competente”.

Sobre esta matéria, o silêncio do Tribunal Constitucional tem sido de uma cumplicidade ensurdecedora.

O refendo seria e é dispensável se a Assembleia da República entender assumir o propósito de discutir e votar nos termos constitucionais.
Adaptação de: “A CÍVIS E A DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA”
..
Porque é oportuno e vale a pena recordar...
...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

CARATECA QUARTEIRENSE EM EVIDÊNCIA

sara paiva foi terceira em kumite feminino
.
No passado sábado, 1º de Dezembro, realizou-se em Lagos o Campeonato Regional Sul de Caraté – nas categorias de cadetes e juniores

Participaram atletas da União Shitoryu Portugal, praticantes no Karate Clube de Loulé, no CDR Quarteirense e no Imortal Desportivo Clube, que arrebataram três primeiros lugares, três segundos lugares e um terceiro – este último ficou na posse de Sara Paiva, em kumite (cadete feminino) de menos de 51 Kg.

A competição serviu, para além de apurar os campeões regionais dos escalões «cadetes» e «juniores», para apurar os atletas que irão participar nos campeonatos nacionais que se realizarão em 8 de Dezembro, em Portimão.
Em 1º plano: Sara Paiva
Força, Sara… manda-as todas ao tapete!
.

PASSAGEM DE ANO EM QUARTEIRA

espectáculo “piromusical” – no dizer da câmara

A Praça do Mar vai ser palco de um espectáculo de fogo-de-artifício, a que se seguirá a actuação do grupo cubano «Orishas», formado por estudantes a viver em Paris que, segundo o seu próprio definição, “fazem uma mistura explosiva entre os sons tradicionais de Cuba e outros sons contemporâneos, formando um caldo multicultural, que busca inspiração na rumba, no rap, e noutros ritmos iluminados pelo sol quente das Caraíbas”.
Mónica Ferraz, vocalista dos "Mesa "
Antes dos cubanos, desde as 22:30 e até à meia-noite, actuará a banda portuguesa “Mesa”, liderado pela vocalista Mónica Ferraz.

A Câmara de Loulé afirma, em nota oficiosa, que ainda, “pela noite dentro, o DJ King Bizz vai trazer a música de dança ao “reveillon” de Quarteira”.

Piromusical?! Agora digam que a Câmara de Loulé não cria nada de novo em Quarteira: Até cria novas palavras!
.

BAILE DE NATAL

dedicado aos “seniores” de quarteira

Às três da tarde do próximo dia 15, começará, no Aquashow, um baile destinado aos “seniores”, promovido pela Junta de Freguesia de Quarteira.

No anúncio, feito por esta autarquia, diz-se que o Pai Natal também lá irá estar.
Pudera! Se é ele o anfitrião!...

.

RECOLHA DE ALIMENTOS

existir e inuaf unidos no banco solidário

No próximo sábado, 8 de Dezembro, realiza-se uma recolha de bens de primeira necessidade nos supermercados de Loulé, Quarteira e Almancil, numa acção do Banco Solidário.

Os produtos que serão recolhidos, entre as 9h00 e as 16h30, por grupos de alunos e professores do INUAF, em colaboração com a Associação Existir, destinam-se a ser distribuídos por residentes no concelho que vivem no limiar da pobreza e exclusão social.

Os bens recolhidos, serão entregues directamente na sede do Banco Solidário, no edifício dos antigos Bombeiros Municipais, situado na rua de acesso ao Bairro Municipal.

Lutar contra a fome e contra a pobreza é uma tarefa ciclópica que a todos deve preocupar. Ainda há dois ou três dias, o Banco Alimentar contra a Fome procedeu a um peditório idêntico. Infelizmente, os pobres não comem apenas no Natal…
.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

CABAZES DE NATAL

habitual distribuição da câmara de loulé

Como vem sendo habitual há vários anos, a partir de dia 12 de Dezembro, a Câmara Municipal de Loulé vai proceder à distribuição de «cabazes de Natal» pelas famílias mais necessitadas do concelho.
Segundo a informação da autar-quia, irão ser dentregues 1850 cabazes a beneficiar outras tan- tas famílias das onze freguesias


Ainda segundo a informação da Câmara, cada cabaz contém: bacalhau, azeite, queijo, leite, grão, feijão e bolo-rei entre outros alimentos.

Em Quarteira, a distribuição ocorrerá no próximo dia 19, a partir das 10:00 horas, no Centro Paroquial de Quarteira.

Para que a consoada seja um pouco menos rude, para aqueles para quem a vida é mais madrasta.
.

CARTAS DE CONDUÇÃO

alterados os prazos de revalidação

No primeiro dia de 2009, entrarão em vigor as alterações à validade das cartas de condução automóvel, relativamente aos prazos de revalidação.

É importante que saiba que não se pode guiar pelo prazo que está inscrito na sua carta, porque esse “não vale” à luz da nova legislação.

Quando o novo prazo de revalidação seja ultrapassado em dois anos, mesmo que a carta ainda esteja válida, o título fica sem efeito. Como consequência, para além da “competente” multa, só poderá receber nova carta após novo exame.

Consulte a tabela para saber quando deve revalidar a sua carta.

Quer dizer: se deixar caducar a sua carta, é como se não estivesse habilitado a conduzir; e isso é punido como crime.
.

domingo, 2 de dezembro de 2007

DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA ?!

vereadores ps visitaram testemunhas de jeová
“Vereadores PS visitaram em Quarteira futuro espaço de culto das Testemunhas de Jeová.
Em resposta a um convite das Testemunhas de Jeová, os vereadores Vítor Aleixo e Maria Helena Baptista estiveram em Quarteira e visitaram o futuro espaço de culto daquela congregação religiosa.
Numa breve e informal conversa os vereadores inteiraram-se dos projectos daquela comunidade religiosa quarteirense […]”
in blogue dos Vereadores PS em 1/Dez/2007

Espera-se que, a seguir, vão à casa de culto dos Maná, dos Adventistas do Sétimo Dia, dos Baptistas Peniel, dos Evangelistas, dos do Reino de Deus e dos Esperança Viva e, já agora, não esqueçam dos seguidores da Fé Bahá’í e dos fiéis do Candoblé, que também os há por aí…

Indo apenas a um lugar de culto, Vítor Aleixo e Helena Baptista não estarão num processo de discriminação religiosa?

Cuidado! É que isso é anti-constitucional.
E os Católicos, senhores vereadores? Se calhar o padre Elísio não lhes envia convites .

,,,

OS INQUÉRITOS DO CALÇADÃO

96 por cento não querem ali o mercado semanal
mm
Deveriam ter estado abertos à votação dos nossos leitores apenas durante oito semanas. Por qualquer erro que não fomos capazes de descortinar, os “Inquéritos do Calçadão” acabaram por receber opiniões durante dez semanas.

Dos
resultados obtidos, o aspecto que mais nos impressionou foi a fraca adesão dos leitores a ambos os inquéritos.
m
Com efeito, entre os mi-lhares de lei-tores que, nesse período, nos visitaram, só menos de duas centenas se deram ao trabalho de nos deixar a sua opinião – o que nos faz pensar se, efectivamente, valerá a pena insistir neste tipo de iniciativas.

Nem mesmo o problema do mercado, de que toda a gente fala e sobre o qual todos temos opinião, parece ter merecido o desejo de participação por parte dos quarteirenses.

Seja como for, aí ficam os resultados.

Perante o que aqui fica, parece que, por cá, não estamos lá muito entusiasmados com o mercado semanal. Valerá a pena continuar com ele?
.

sábado, 1 de dezembro de 2007

MOMENTOS DE ENCANTAMENTO

a boieira

“[…] -- De que são feitas as estrelas? – perguntou o mais novito.
----- -- De prata. Pois está visto!
----- Então o outro, lançando um amplo olhar à vastidão infinita do céu, exclamou:
----- -- Eh! tanta prata!
----- -- O Sol, esse é de oiro, disse ainda o Manuel.
----- -- Bem de ver! – volveu-lhe, convencido, o irmão – Que eu, se me dessem à escolha, antes queria as estrelas! Olha que rebanho!
----- -- Pois eu antes queria o Sol. Com licença do teu querer, sempre é mais grande!
----- E enquanto falavam, os dois não desfitavam os olhos da estrela feiticeira que perseguiam. Os remos, no entanto, iam abrindo fenda na água, com certo ruído, muito doce… E, lá no alto céu, dir-se-ia que, de instante para instante, a feiticeira estrela mais brilhava, incitando-os.
----- -- Vê-la a fazer assim? – e pôs-se a pestanejar, imitando a palpitação creba e irregular da luz sideral.
----- -- É que tem sono! – respondeu o outro, a rir.
----- -- Olha que não! Aquilo é a fazer-nos negaças,
tamém
to digo!
----- -- Ai é?! Pois que faça negaças e que se descuide: se malha cá em baixo, bem se afoga… - e, apontando-lhe um punho cerrado, gritou a rir: -- Eh. boieira!
----- Neste momento, uma estrela cadente abriu esteira de prata e azul, sumindo-se rapidamente. Os pequenos ficaram com medo e ambos murmuraram, em tom de reza, as palavras rituais:
----- -------------- Deus te guie bem guiada,
----- -------------- que no céu foste criada.
----- -- Vês? – Disse o Manuel, que era dos dois o mais supersticioso – Torna a apontar para elas… Eu cá não aponto, que nascem «
cravos
» nas mãos… […]”
TRINDADE COELHO (1861 - 1908) do conto “Abyssus abyssum”, in «Os meus amores»
José Francisco TRINDADE COELHO, cursou Direito em Coimbra, mas escreveria do ambiente conimbricense: “aquela vida em que estive metido e que nunca se deu comigo nem eu com ela”.
Sem ter, pois, vida fácil, cedo teve que substituir o ambiente boémio por uma vida de trabalho, tanto mais que, entretanto havia casado. Escrevia em jornais, fundou, duas publicações: Porta Férrea e Panorama Contemporâneo e dava explicações.
Com a protecção de Camilo, que nele percebeu cedo as capacidades literárias, entrou na magistratura como Delegado do Procurador Régio, em Sabugal, indo, mais tarde, para Portalegre. Passou pela política no período conturbado do Ultimato Inglês.
Era um inconformado. Nem a fama de grande magistrado, nem o prestígio de escritor, nem a felicidade conjugal conseguiam fazer de Trindade Coelho um homem feliz.
Suicidou-se em 9 de Junho de 1908, deixando-nos uma obra variada e profunda, distribuída por quatro vertentes: jornalismo, obras de carácter jurídico, pornográfico, histórico, intervenção cívica e literatura de ficção.

MM

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

CENTRO CULTURAL DE QUARTEIRA

e a montanha pariu um rato

Afinal, o que irá ser o Centro Cultural de Quarteira? A reunião da Câmara, de hoje, deixou-nos uma sensação de vazio. Quem se deslocou à sede da Junta de Freguesia para escutar as propostas do executivo autárquico municipal, saiu da reunião quase como para lá tinha entrado. Ou pior.

Não há ainda qualquer projecto. Este será, mais tarde, executado pela CML, para ser construído… “numa segunda fase”; ou seja, depois dos blocos habitacionais que o construtor se propõe edificar.
No show tão aguardado na reunião da autarquia, apenas uma vagas ideias foram propostas.

E o que se soube, não pode deixar de ser preocupante.

Soube-se, por exemplo, que a área de implantação do edifício será de 1.542,52 m2 e que a construção terá três pisos.

Nestes, deverão ter lugar, segundo a proposta, um auditório para 180 espectadores (note-se que o anfiteatro pequeno da minha Faculdade, da UALG comporta 150 alunos); uma sala de exposições/museu, uma biblioteca/mediateca, livraria, café bar, gabinetes de administração, sanitários e… mais nada.

Um centro cultural de... 4ª categoria

Nada de salas-estúdio, de ensaio ou dança; nada de instalações para orquestra; nada de ludoteca; nada de ateliês; nada de hemeroteca…

Em resumo, e segundo a própria proposta, relativamente ao auditório que propõe, a “classificação de recinto é 4ª. categoria” mas – dizem ainda os autores do ante-projecto – “resolverá as necessidades da população residente e flutuante”.

Ou seja… segundo “quem sabe”, Quarteira não merece mais que um Centro Cultural de 4ª categoria! Como nos tratam bem!...
.

ANTE-PLANO PARA ZONA NOBRE DA CIDADE

mais trezentos habitantes e quase nada de plantas


Quando o Lourenço lamentou não poder ir assistir à apresentação do ante-plano de pormenor do Centro Cultural de Quarteira, na reunião de Câmara que se ia realizar hoje, na sede da Junta de Quarteira, e eu me dispus a dar uma falta ao serviço, a descontar na licença, só para poder substitui-lo num momento que se previa tão importante para Quarteira, estava longe de imaginar que, a estas horas, estaria aqui a lamentar o tempo perdido.
Com efeito, o “grosso” da discussão que se gerou à volta do tema, centrou-se em questões de aspectos legais respeitantes às conexões entre o projecto do plano de pormenor para a área onde o Centro Cultural irá ser implantado – a zona onde hoje se realiza o mercado da fruta - e os requisitos exigíveis no PDM. Burocracias!...


Uma discussão inquinada logo de princípio pois os dois protagonistas, o presidente da Câmara e o líder dos vereadores PS, não conseguem disfarçar a crispação mútua que parece ir muito para lá de rivalidades partidárias. Mal Vítor Aleixo abre a boca, nota-se no semblante de Seruca Emídio um carregar de sobrolho a pressagiar uma de duas coisas: tédio ou altercação. É difícil, assim, uma discussão profícua e esclarecedora.

Verdade seja que o líder socialista não perde ensejo de arremeter todo e qualquer argumento, ao mínimo pretexto.

As questões que deveriam ser de interesse público transformam-se, assim, em duelos político-partidários, agrestes e cansativos para quem assiste.

E, se é verdade que, na bancada do executivo social-democrata, só o presidente e o vice-presidente é que abrem a boca para falar, também não se percebe que, estando Aleixo acompanhado, na bancada socialista, por outros dois elementos, por que razão não distribuem, entre si, a discussão dos temas. O engenheiro Luís Mealha é um homem inteligente e calmo que poderia conduzir para patamares mais bonançosos a discussão dos problemas e a doutora Hortense Morgado, que, segundo me dizem, está a fazer uma pós-graduação em gestão autárquica, com certeza também teria capacidade e argumentário para gerir um diálogo sem dar azo a profundas altercações. Mas esse é um problema que os vereadores socialistas terão de resolver entre si.

E, depois de consultar todos os apontamentos e números rabiscados que tomei e as notas registadas no gravador do telemóvel, afinal, que pude concluir?

  • que o autor do projecto pretende construir naquele espaço (que mede 16.020 m2), oito blocos de apartamentos com uma área bruta de construção de 10.586 m2, que albergarão 270 pessoas em 83 apartamentos e sete estabelecimentos comerciais;
    b
  • que o autor do projecto terá eventualmente ultrapassado os limites de área de construção previstos no PDM;
    b
  • que estão previstos 391 lugares de estacionamento, num jogo malabar dos arquitectos responsáveis do projecto;
    b
  • que o parque de estacionamento será em três pisos subterrâneos, o que significa ficar pelo menos com um abaixo do nível do mar;
    b
  • que a praça destinada ao lazer/estadia terá uma superfície de 48,5 X 45 m apenas;
    b
  • que, em teoria, restarão 530 m2 para áreas verdes, onde serão plantadas cerca de 40 árvores;
    b
  • que numa primeira fase ,serão apenas construídos os blocos de apartamentos números 1 e 4, propriedade da empresa que realizou o plano;
    b
  • que as redes de esgotos existentes, tanto das águas pluviais como das residuais domésticas não apresentam condições de suporte de drenagem. Por isso, a CML terá de, mais tarde, redimensionar e reconstruir, portanto, essas redes nas ruas Infante Santo, Gil Eanes e Marginal Infante de Sagres;
    b
  • que o Centro Cultural de Quarteira terá 3 pisos, numa área de implantação de cerca de 1.542 m2. – mas deste falaremos noutro local.

No final, invadiu-me uma sensação de que todo aquele tempo, toda aquela discussão foram tempo perdido, para escutar ideias mal estruturadas ou indefinidas, onde sobressaía a sanha construtiva da falcoaria que preside a construção civil.

Ficou-nos apenas no ouvido a pergunta de Vítor Aleixo: afinal, não seria melhor que a Câmara de Loulé adquirisse a área de que não é ainda proprietária, reservando todo aquele espaço para a fruição pública, para estacionamento e para um Centro Cultural moderno, funcional, arrojado e digno, capaz de projectar Quarteira numa dimensão de modernidade?
.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

LIÇÕES DE PROTOCOLO EM VILAMOURA

para os empresários de hotelaria

Luís Garcia, professor da disciplina de Protocolo nas universidades de Granada, Madrid e Salamanca, irá ser orador, no Hotel Ampalius, em Vilamoura, no dia 30 de Novembro, sexta-feira, numa conferência versando informação técnica sobre «Protocolo no ramo da hotelaria», numa iniciativa da CEAL, dedicada aos empresários de hotelaria.

Uns rudimentozinhos básicos de protocolo e etiqueta parece que estão fazendo, por cá, bastante falta.
E não só entre os empresários de hotelaria…
.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DELIBEROU

impostos baixam no concelho

Reuniu ontem, 26 de Novembro, a Assembleia Municipal de Loulé, para apreciar e votar a proposta da Câmara Municipal relativamente à descida de taxas (IRS e IMI) a pagar pelos residentes no concelho, para o próximo ano.

A Assembleia Municipal aprovou:

  • redução, de 5 para 3%, a taxa de IRS dos sujeitos passivos – na parte atribuível às autarquias;
    m
  • redução, de 0,43% para 0,40%, a taxa de IMI a aplicar aos prédios urbanos avaliados, mantendo-se para os restantes prédios urbanos, a taxa de 0,70%, e a redução até 30%, nas freguesias do interior;

Como, este ano, haverá uma diminuição na tributação das offshores, e com a redução nas taxas do IRS e do IMI, verificar-se-á, segundo comunicado da autarquia, uma redução de receitas para os cofres da CML, de cerca de 10%, (€ 2.650.000).

Esta descida das taxas fora decidida por maioria, em reunião da Câmara Municipal, com os votos contra dos vereadores socialis-tas, que pretendiam reduções bastante mais significativas: zero por cento no IRS e 0,35% e 0,65% no IMI .
.

MISSA DE MOZART EM QUARTEIRA

mudou da matriz de loulé para s. pedro do mar
No próximo dia 9 de Dezembro, domingo, a partir das 10h00, na Igreja S. Pedro do Mar, vai ser apresentada a Grande Missa do Credo, de Mozart., pelo Coral Lisboa Cantat e a Orquestra do Algarve.

Sabemos que a audição, tinha sido acordada para se realizar em Loulé mas, verificamos, com algum agrado, a transferência do concerto para Quarteira, ainda que a horas pouco habituais para os melómanos.

Parece que a autarquia louletana começa a reparar no vazio cultural a que tem votado Quarteira!
.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

CENTRO CULTURAL DE QUARTEIRA

câmara apresenta ante-plano na 4ª feira
"A Câmara Municipal de Loulé prepara-se para viabilizar o - «Plano de Pormenor do Centro Cultural e Parque de Estaciona-mento de Quarteira».

Para quem não sabe, o que está em causa é o destino a dar ao espaço de cerca de 1,5 ha, onde, todas as quartas-feiras, se realiza o mercado das frutas e legumes, na Avenida Sá Carneiro.

A disputa sobre este terreno tem uma história já longa. O que está, e sempre esteve em causa, é a utilidade a dar àquele espaço: mais prédios e mais negócio imobiliário, por legítimo que seja, ou uma grande área pública, fortemente arborizada, com espaço cultural digno e zona de estacionamento automóvel para resolver os grandes problemas da cidade neste domínio, sobretudo no Verão?

A proposta da Câmara de autorizar mais oito blocos de construção e reservar uma parcela sobrante, insuficiente para um Centro Cultural e um parque de estacionamento, é pouco ambiciosa e deve preocupar a população da cidade.

Você, cidadão de Quarteira, tem o direito a ser informado e a fazer-se ouvir, antes da decisão que a Câmara se prepara para tomar, relativamente àquele terreno. […]”
Do blogue dos vereadores do Partido Socialista, em 26/Nov/2007

O Centro Cultural de Quarteira é um equipamento social e cultural de extrema importância para Quarteira e para o seu futuro que, segundo palavras do presidente da Câmara de Loulé, irá, em breve, assistir ao triplicar da sua população residente.

Por isso, a sua presença na apresentação deste ante-plano reveste-se da maior importância para todos nós. Recomenda-se, por isso, a presença dos quarteirenses que possam estar na Junta de Freguesia de Quarteira, na próxima 4ª feira, dia 28, a partir das 14.30 horas.

.