já fizeram uma visitinha

Amazing Counters
- desde o dia 14 de Junho de 2007

sábado, 2 de janeiro de 2010

Mensagem presidencial de Ano Novo

discurso a lembrar o caso do bombeiro pirómano
O Presidente da República disse, na sua mensagem de Ano Novo, que Portugal pode caminhar para uma "situação explosiva" e avisou Governo e oposição de que devem pôr fim às "querelas artificiais" e concentrarem-se no que é essencial, como o combate ao desemprego.

Cavaco Silva traçou um retrato preocupante do País – um retrato redundante, por demais conhecido das famílias portuguesas, por um lado, e dos detentores de cargos públicos, por outro.

Tem razão Cavaco quando pede “que os agentes políticos deixem de lado as querelas artificiais, que em nada resolvem os verdadeiros problemas das pessoas”.

Mas deveria aconselhar-se um pouco mais com o travesseiro quando desempenha o papel de «bombeiro pirómano», alimentando (provocando?) essas mesmas querelas, ou quando vai dizendo que “não compete ao Presidente da República intervir naquilo que é o domínio exclusivo do Governo ou naquilo que é a actividade da própria oposição”.

Em que ficamos?

Não pode intervir naquilo que é do domínio exclusivo do Governo e não percebe que é uma interferência afirmar, por exemplo, que “não poderá haver aumentos de impostos porque Portugal tem já um nível de impostos que é desproporcionado face ao seu nível de desenvolvimento”?!

Por acaso, lembrar-se-á Cavaco Silva que o ponto de partida desse fraco nível de desenvolvimento se deve à forma como deixou desbaratar, sem controlo nem critério, o imenso volume das ajudas comunitárias enquanto foi primeiro-ministro?

9 comentários:

Anónimo disse...

Cavaco teve culpas pelo atrazo do país ou pela demora da recuperação. E o Guterres não teve?

Anónimo disse...

Quando o rastilho iniciar a explosão ninguém parará a catástrofe e aí se perguntará onde estavam os brandos costumes?

Atento disse...

Uma coisa é certa, se estamos assim, deve-se aos bons desgovernos todos que temos tido. Os abutres, com ou sem crise, não se deixaram de encher.

Raposo disse...

Ja e muito tarde, os do custume ja estao bem cheios.

Raposo

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Cavaco Silva vai dizer exactamente as coisas que disse hoje na mensagem do próximo ano, se ele e nós tivermos o azar de ele ser reeleito.
Vamos estar não na mesma situação mas numa situação ainda pior, porque a tendência é de agravamento...

Machado disse...

o cinismo de Cavaco, desta vez, foi demasiado óbvio. Se não vejamos o que ele falou:

"Na lógica do nosso sistema constitucional, não compete ao Presidente da República intervir naquilo que é o domínio exclusivo do Governo ou naquilo que é a actividade própria da oposição, Portugal dispõe de um Governo com todas as condições de legitimidade para governar, um Governo assente numa maioria relativa conquistada em eleições ainda há pouco realizadas",

E isto foi exatamente o que ouvi em direto pela RTP
E isto é exatamente o que Cavaco Silva, enquanto PR, NÃO FAZ!
Pode haver melhor acha que esta para a fogueira em que Cavaco quer empurrar o governo para dar uma mãozinha, uma vez mais, ao seu PSD completamente à deriva e desacreditado?

Anónimo disse...

Isto está mau, cada vez pior. Estamos à beira do precipício e só nos falta dar o passo em frente!
Apesar de tudo isto continuamos a eleger os grandes culpados desta situação. Somos muito espertos!

Remo disse...

por falta de comparência do PSD, o Presidente Cavaco Silva surge como o verdadeiro líder da oposição ao PS e cada vez mais poderá ver-se tentado a agir como tal